LIVRARIA ONLINE

SINOPSE


Poemas - Cláudio Manuel da Costa (PDF)
Na poesia de Cláudio Manuel da Costa predomina a melancolia e um certo sentimento de desencanto, acirrados pelo contraste entre a vida da metrópole e o ambiente rude das Minas Gerais. O poeta de tudo extrai tristeza, da fugacidade das coisas à ausência da amada, como se na vida não houvessem momentos felizes. É um sensitivo, como confessa em versos admiráveis, comparando as montanhas rochosas de sua terra ao seu coração: 'Destes penhascos fez a natureza/ o berço em que nasci: oh quem cuidara/ que entre penhas tão duras se criara/ uma alma terna, um peito sem dureza!'.
Alguns críticos apontam uma certa frieza em seus versos, mas esta decorreria da disciplina formal, que disfarça um veio subterrâneo palpitante de emoção, sobretudo nos sonetos, do qual foi emérito cultor, dos maiores da língua, e que constituem a parte mais significativa de sua obra.

Obra retirada do portal Domínio Público - http://dominiopublico.gov.br/

Valor do empréstimo: R$ 0,00



Ministério Da Cultura e BRDE


Clube do leitor - Comentários

Faça um comentário: * Somente leitores registrados podem enviar comentários. Faça seu login.